Skip to Content

Macroeconomia / Conjuntura

Prova de vida

“Sem investimento destinado a ampliar exportações e/ou substituir importações, será difícil acreditar na reanimação do crescimento, do rendimento e do consumo interno. E sem confiança no futuro, não emergirá investimento”.Artigo de opinião de Cristina Casalinho, publicado no Jornal de Negócios de hoje, 01/02/2013 (carregar no texto para acesso ao documento original)

 

Inquérito de conjuntura ao Investimento – 2º Semestre de 2012

De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de outubro de 2012 (com período de inquirição entre 1 de outubro de 2012 e 22 de janeiro de 2013), o investimento empresarial deverá apresentar uma taxa de variação nominal de -4,2% em 2013. Os resultados deste inquérito apontam ainda para que tenha ocorrido uma redução de 26,4% do investimento em 2012, representando uma significativa revisão em baixa face às perspetivas reveladas no inquérito anterior (variação de -16,7%).
Entre os objetivos do investimento, perspetiva-se que, de 2012 para 2013, se tenha verificado um aumento do peso relativo do investimento associado à substituição. O investimento relativo à extensão da capacidade de produção terá mantido a sua importância relativa inalterada entre os dois anos.
Dos principais fatores limitativos do investimento empresarial identificados como mais importantes nos dois anos analisados, destaca-se a deterioração das perspetivas de venda, seguindo-se a incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos. No primeiro caso registou-se um aumento do peso entre 2012 e 2013, compensado sobretudo pela redução da percentagem de empresas que refere a insuficiência da capacidade produtiva como principal fator limitativo. INE, 31 de Janeiro de 2013 (carregar no texto para acesso ao documento original)

Recuperação dos Indicadores de confiança dos Consumidores e de clima económico

O indicador de confiança dos Consumidores aumentou em janeiro, após ter atingido o mínimo da série no mês anterior.
O indicador de clima económico recuperou de forma ténue no mês de referência, embora não se afastando significativamente do valor mais baixo da série registado em dezembro. Em janeiro, observou-se um aumento dos indicadores de confiança em todos os setores, Indústria Transformadora, Construção e Obras Públicas, Comércio e Serviços.
 (Carregar no texto para acesso ao documento original)

Dados do INE, publicados ontem, dia 30/01/2013

 

O Estado socia (I) – A sua força e as suas fraquezas

Artigo de opinião de Henrique Medina Carreira, publicado no semanário Expresso, dia 26 de Janeiro de 2013.

O fiscalista inicia um conjunto de artigos sobre as opções para garantir a sobrevivência do Estado social.

 

World Economic Outlook Update

Gradual Upturn in Global Growth during 2013 – FMI, 23 Janeiro 2013

 

Global growth is projected to increase during 2013, as the factors underlying soft global activity are expected to subside. However, this upturn is projected to be more gradual than in the October 2012 World Economic Outlook (WEO) projections. Policy actions have lowered acute crisis risks in the euro area and the United States. But in the euro area, the return to recovery after a protracted contraction is delayed. While Japan has slid into recession, stimulus is expected to boost growth in the near term. At the same time, policies have supported a modest growth pickup in some emerging market economies, although others continue to struggle with weak external demand and domestic bottlenecks. If crisis risks do not materialize and financial conditions continue to improve, global growth could be stronger than projected. However, downside risks remain significant, including renewed setbacks in the euro area and risks of excessive near-term fiscal consolidation in the United States. Policy action must urgently address these risks.

 

1 2 ... 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56