Skip to Content

Nota de Conjuntura

Nota de Conjuntura nº 31 – Novembro de 2018

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, referente ao mês de Novembro de 2018.

Se entre 2000 e 2017, Portugal tivesse crescido tanto como Espanha (31,3% em vez de apenas 7,5%), o nosso PIB seria actualmente 43 mil milhões de euros superior e isso geraria uma margem de 18 mil milhões de euros de receita pública adicional, que permitiria o “milagre” de conseguir três objectivos, todos eles favoráveis: um défice público menor, impostos mais baixos e aumentar o investimento público.

Se o nosso crescimento tivesse tido a qualidade do espanhol (com défices externos limitados), também não teria sido necessário pedir ajuda à “troika”, nem uma dose tão elevada de austeridade.

Nota de Conjuntura nº 30 – Outubro de 2018

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Outubro de 2018.

Para Portugal, prevemos que de um crescimento homólogo de 2,3% no 2º trimestre, o PIB desacelere para entre 2,0% e 2,3% (entre 0,3% e 0,6% em cadeia) no 3º trimestre. Este abrandamento decorre quer de efeitos do lado da procura, quer da oferta, pelo que é reforçado.

Nota de Conjuntura nº 29 – Setembro de 2018

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Setembro de 2018

A DBRS diz que a subida de rating está crucialmente dependente do aumento do potencial de crescimento, um tema que o Forum para a Compe​titividade tem vindo a enfatizar há muito tempo. Este e outros assuntos são aprofundados na presente Nota.

Nota de Conjuntura nº 28 – Agosto de 2018

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Agosto de 2018.

A produtividade parou de cair, mas teve um aumento (ínfimo) de 0,2%. Mas com a nossa média de crescimento da produtividade desde o ano 2000 (0,7%), deveríamos estar a crescer 2,8%. E se tivéssemos um crescimento da produtividade em linha com muitos dos nossos parceiros comunitários, o PIB deveria estar a crescer entre 4% e 5%.

Ao esbanjar recursos na redução do IVA da restauração e na lei das 35 horas, o governo escolheu sacrificar o SNS e a CP, entre outros serviços públicos. O mais absurdo é que se perguntassem aos funcionários públicos se preferiam passar a trabalhar 35 horas ou receber um aumento salarial de 14%, ninguém tem dúvida qual seria a resposta.

Nota de Conjuntura nº 27 – Julho de 2018

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Julho de 2018.

Entre 2016 e 2019, do conjunto de economias menos desenvolvidas da UE, as únicas que vão crescer abaixo da média são a Grécia e Portugal, que estão claramente do lado errado do gráfico.

Na reforma da Lei de Enquadramento Orçamental, o governo atrasou-se – e atrasou-nos – dois anos, nos objectivos essenciais da nova lei: 1) iniciar uma verdadeira orçamentação por programas em Portugal; 2) dar continuidade à adequação do processo orçamental às novas regras orçamentais europeias.

1 2 3 4