Leia aqui a notícia pubicada no Jornal de Negócios hoje, dia 14/03/2014.

 

“Entre 2008 e 2012, as medidas destinadas à redução do défice público geraram uma perda média de 6,3% no rendimento disponível dos portugueses, o que compara com 11,6% na Grécia. Entre os países analisados de perto pelo FMI, Portugal é o país onde a repartição da austeridade foi a mais progressiva, ao gerar nos mais ricos o dobro da queda de rendimento observada nos mais pobres.”