Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Agosto de 2020.

Em Portugal, no 2º trimestre, o PIB registou uma queda homóloga de 16,3%, dominado pelo consumo privado, a cair 15%, em que o consumo de bens duradouros se ressentiu mais (-27,6%).

A subida da taxa de desemprego, a inflação nula e o facto de o turismo ser dos sectores com maior prevalência de salário mínimo recomendam que não haja qualquer subida do salário mínimo em 2021. No actual contexto, uma subida do salário mínimo pode trazer mais desemprego e falências.