Skip to Content

Tag Archives: Macroeconomia

Nº 8 Perspectivas Empresariais – 4º Trimestre de 2019

Consulte aqui o nº 8 da publicação trimestral do Forum para a Competitividade, que inclui: conjuntura nacional; as empresas e os seus custos; conjuntura internacional; mercados; legislação; e os especiais “A Europa depois do Brexit” e “Empresas Portuguesas em 2018″.

Inclui contributos de Banco BIG, COSEC, PLMJ e PwC/CCR Legal

***

Com a única excepção do Ministério das Finanças, é  opinião unânime das diversas instituições que a economia portuguesa deverá desacelerar em 2020, para entre 1,6% e 1,8%, e de novo em 2021, em linha com o que se deverá passar na generalidade das economias avançadas, sobretudo por razões conjunturais, de final do ciclo económico.

No caso de um “soft Brexit”, a UE-27 perderia 284 mil empregos, o Reino Unido (RU) 140 mil, a Bélgica 10 mil e Portugal 6 mil. No que toca à queda do produto teríamos uma perda de 0.38% na UE-27, 1.21% no RU, 0.58% na Bélgica e 0.3% em Portugal.

As exportações e as importações – Novembro de 2019, INE

Consulte aqui os dados divulgados pelo INE, no passado dia 09/01/2020.

 

Nota de Conjuntura nº 44 – Dezembro de 2019

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Dezembro de 2019.

Em 2020, a economia portuguesa não poderá deixar de acompanhar a desaceleração externa dos seus principais parceiros, havendo também riscos internos. O Forum para a Competitividade prevê que a economia portuguesa abrande, de um crescimento em torno de 1,9% em 2019 para entre 1,5% e 1,7% em 2020.

Nota de Conjuntura nº 43 – Novembro de 2019

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Novembro de 2019.

No 3º trimestre, a economia portuguesa manteve um crescimento homólogo de 1,9%, mas com uma desaceleração trimestral, de 0,6% para 0,3%. Registe-se também uma deterioração da qualidade do perfil de crescimento, com aceleração do consumo privado (de 2,0% para 2,3%) e desaceleração do investimento (de 10,5% para 8,8%).

Novas subidas extraordinárias do salário mínimo, sem medidas significativas de aumento da produtividade, podem traduzir-se em aumentos substanciais do número de desempregados (entre 50 mil e 100 mil), da taxa de desemprego (entre um e dois pontos percentuais), bem como numa degradação das contas externas, entre 1½ % e 3% do PIB.

Nota de Conjuntura nº 42 – Outubro de 2019

Consulte aqui a Nota de Conjuntura do Forum para a Competitividade, relativa ao mês de Outubro de 2019.

No 3º trimestre de 2019, o PIB de Portugal deve ter crescido entre 1,7%  e 1,9% em termos homólogos, desacelerando ligeiramente face ao trimestre anterior.

As subidas extraordinárias do salário mínimo não se têm traduzido em desemprego, devido à excepcional conjuntura internacional. No entanto, como esta se está a deteriorar, novas subidas extraordinárias do salário mínimo deveriam ser interrompidas se o desemprego subir acima dos 7%.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 52 53
Power by

Download Free AZ | Free Wordpress Themes